Ingredientes essenciais para a produção de cerveja artesanal (parte 2)

Tempo de leitura: 4 minutos

Conforme falamos no post anterior, (se você perdeu leia aqui: Ingredientes essenciais para a produção de cerveja artesanal (parte 1), a escolha do malte é um fator vital para determinar a experiência da cerveja, seu sabor, corpo e aroma. A cevada, geralmente é utilizada como o malte base e representa a maior parte dos açúcares fermentáveis.

Neste artigo, ressaltaremos além do malte e da água, outros ingredientes essenciais para a produção de cerveja artesanal, e também um conjunto de adjuntos para cervejeiros que querem se aventurar em novos paladares.

Tomaremos como referência as técnicas publicadas no livro “Cerveja Artesanal: técnicas e receitas para produzir em casa” dos experts Dave Law e Beshlie Grimes.

O processo da brassagem pode variar e conferir diferentes sabores e aroma, por exemplo, com o uso de centeio, painço, arroz, milho e até quinoa, que serão complementos ao malte base .

Açúcares

Definido qual cereal será usado como malte, inicia-se a mostura ou brassagem. Processo no qual o amido dos grãos são transformados em açúcares fermentáveis, que resultará no produto final chamado mosto (solução açucarada que antecede a adição da levedura).

O corpo da cerveja e o teor alcoólico são definidos de acordo com a proporção dos açúcares fermentados para as leveduras.

Leia também: Cerveja artesanal: Conheça os processos de produção do método básico com malte em grão

Dicas na utilização do açúcar na cerveja artesanal

Em suma, é recomendado adicionar no máximo 20% de açúcar além do maltado extraído do grão, já que o excesso pode deixar um teor de secura, similar ao da sidra, por exemplo.

Para obter um maior teor alcoólico é recomendado adicionar o açúcar durante a fermentação. Açúcar demerara ou mascavo, mel e melaço podem atribuir maior teor alcoólico. O sabor e aroma também são intensificados quanto mais tarde o açúcar for adicionado.

  • O melaço oferece um sabor mais encorpado, próximo ao do rum.
  • O mel é composto por açúcares, por isso, é altamente fermentável, atribuindo um teor seco à bebida.

Lúpulos

Equilibram a doçura do malte, dão mais amargor, sabor e aroma à bebida.  São ingredientes essenciais para a produção de cerveja artesanal pois também agem como um conservante natural, já que combatem as bactérias. Podem ser classificados em três grupos: de amargor; de aroma e de dupla finalidade.

São flores desidratadas que contém resinas com os ácidos alfa e beta, que configuram sabor e aroma, respectivamente.

  • Ácido alfa: adicionado no inicio da fervura para dar um gosto de amargor.
  • Ácidos beta: Para extrair mais aroma é adicionado ao final. Podem conferir aroma cítrico, picante, floral, e até notas de frutas ou florais de acordo com o lúpulo usado.
tabela-tipos-de-lupulo
Há uma infinidade de lúpulos existentes, selecionamos alguns mais usados no Brasil.

Levedura

Outro ingrediente que irá definir o resultado final do sabor de sua cerveja.  Esses fungos são encontrados em forma seca ou fresca líquida (possui maior variedade, porém estraga mais rápido em relação à primeira).

É possível mensurar a quantidade de açúcar e carboidratos que a levedura irá consumir durante a fermentação por meio da floculação e atenuação. Correspondem à facilidade com que a cerveja é clarificada e a forma como a levedura irá fermentar os açúcares, respectivamente.

Há dois tipos de levedura:

  • Alta fermentação, para produzir Ales, atuam melhor sob temperaturas mais elevadas, entre 16-24ºC.
  • Baixa fermentação, para produzir Largers, voltadas para temperaturas mais baixas, entre 7-15ºC.

Inovando a produção de cerveja artesanal com frutas, ervas e outras especiarias

Agora que você é um expert em homebrewing, chegou a hora de conferir uma identidade única à sua produção de cerveja artesanal.

Além do lúpulo, outros insumos podem conferir um sabor diferenciado, frutas, ervas, cascas e sementes, de acordo com o que sua criatividade permitir. Eis alguns exemplos:

  • Anis estrelado confere sabor doce, usado em Ales tipo belga.
  • Casca de laranja confere sabor leve e refrescante, usada em cervejas belgas e de trigo.
  • Favas de baunilha confere uma nota adocicada, usada em cervejas fortes especiais.

Pimenta malagueta, cacau, zimbro, casca de limão-siciliano, capim limão, gengibre, flores de sabugueiro, são outras opções.

Tem alguma outra sugestão de especiaria para criar um aroma fascinante? Comente e compartilhe com a Wier.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *