Cerveja artesanal: Como melhorar a limpeza de equipamentos e garrafas

Tempo de leitura: 4 minutos

O mercado de cerveja artesanal já está consolidado no Brasil com muitas marcas conquistando espaço nas prateleiras e na preferência de muitos consumidores. Mas ainda há público cervejeiro para ser alcançado.

Nesse cenário, as cervejarias enfrentam dois desafios. O primeiro é trabalhar para manter a qualidade para fidelizar ainda mais seus clientes. E o segundo é apresentar o produto com mais argumentos positivos para quem ainda não é consumidor de cerveja artesanal para também conquistá-lo.

Em ambos os casos, além de fazer bem feito, é preciso também comunicar o que garante a qualidade do produto. E isso começa reforçando os cuidados e valorizando as medidas tomadas visando a higiene e a limpeza de equipamentos e garrafas, incluindo as tampinhas.

Ou seja, o processo de produção também é um ingrediente na estratégia de marketing e vendas com peso tão grande quanto toda a comunicação, marca e rótulos e, em alguns casos, associa a cervejaria à temas valorizados pelos consumidores como a sustentabilidade.

Etapas para garantir a qualidade da cerveja artesanal

O processo de produção de cerveja artesanal deixou de ser um grande segredo e isso atraiu não só pequenos e médios empreendedores, mas também cervejeiros caseiros e os consumidores apaixonados pelo produto. Com paciência e disciplina para a mistura dos ingredientes e preparo das receitas, é possível chegar a um resultado de qualidade. Mas não basta ficar só focado nessa fase do processo – a fase “boa”. É parte da preparação também os cuidados com higiene e limpeza.

Pense nisso: como a higiene e a limpeza são tratadas na produção da sua cerveja artesanal?

Para ajudá-lo a refletir sobre o assunto, reforçamos abaixo as três etapas que não podem faltar na rotina de produção de cerveja artesanal.

1 – LIMPEZA

O que se busca nesta etapa é a remoção de resíduos de produção que ficam nos equipamentos. Aglomerado de leveduras, por exemplo. Geralmente se recomenda fazer com água quente e detergente para que se possa tirar toda a “craca” com a ajuda de escovas próprias para o serviço.

2 – ESTERILIZAÇÃO

Esta etapa acaba sendo mais realizada pelos cervejeiros caseiros, aquecendo garrafas e todos os equipamentos que contenham vidro em uma panela em altas temperaturas e por cerca de 30 min a 45 min. O objetivo é eliminar todos os micro-organismos que possam influenciar no resultado final do produto.

3 – SANITIZAÇÃO

O que se quer é reduzir ao máximo a quantidade de contaminantes em todos os equipamentos e garrafas, elementos que podem impregnar no resultado final do produto. Com o gerador de ozônio evita-se o uso de produtos químicos como álcool, Hipoclorito de Sódio, Cloro, Ácido Peracético e Iodóforo, que são os mais comumente utilizados sob o risco de aplicá-los na medida incorreta. Por exemplo, em seu livro How to Brew, leitura obrigatória para quem quer entrar no mercado de produção de cerveja artesanal, John Palmer, no caso do Iodóforo, recomenda usar 1 colher de sopa para cada 20 litros.

Sanitização com gás ozônio na prática

O exemplo da cervejaria Red Door, como destacado no blog da WIER, mostra que dá para melhorar o processo com práticas que garantem qualidade e economia, fazendo a sanitização de equipamentos e garrafas com o apoio de um gerador de ozônio. Conforme o relato da marca, “a geração da água ozonizada e as propriedades altamente oxidantes do ozônio resultam na eliminação de todos os tipos de resíduos orgânicos e inorgânicos e de bactérias, fungos, vírus, e outros”.

Misturado à água limpa, o ozônio age de forma rápida tanto na remoção de sujeiras quanto na eliminação de micro-organismos em tanques de fermentação, garrafas e barris, além de superfícies, como chão, parede, mesas e outros equipamentos. Assim, elimina-se também qualquer aroma ou sabor que poderia impregnar no material a ser esterilizado. E no caso da Red Door, ajuda a reforçar também a postura sustentável da empresa por usar um equipamento ambientalmente correto.

É por razões como essa que o gás ozônio vem conquistando espaço como a melhor solução para a sanitização nas cervejarias. Seu uso na sanitização na produção de cerveja é vantajoso financeiramente porque substitui aquela lista de produtos químicos citados acima e não deixa resíduos por ser 100% natural, gerado a partir do oxigênio com a tecnologia de Plasma Frio desenvolvida pela WIER.

Quer melhorar a limpeza de equipamentos e garrafas com o uso de ozônio e depois contar para todo mundo? Fale com os especialistas da WIER e conheça a solução ideal para o crescimento do seu negócio.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *