O uso de agrotóxicos no Brasil e os impactos para a sua saúde

Tempo de leitura: 5 minutos

O Brasil é o país que mais consome agrotóxicos no mundo. Esse dado é alarmante, pois além dos riscos para a saúde na ingestão de alimentos, o uso massivo de pesticidas no atual modelo de produção de agronegócio está na contramão da sustentabilidade.

Seu uso está associado a contaminação de todo o meio ambiente e não busca a preservação dos recursos naturais, o que pode comprometer o futuro das próximas gerações e a preservação da biodiversidade no planeta.

Mas afinal, você sabe o que é o agrotóxico e como ele pode intoxicar o organismo? Além disso, é possível eliminar os agrotóxicos dos alimentos sem utilizar produtos químicos?

Confira a seguir:

  • O que são agrotóxicos

São produtos químicos usados para eliminar e controlar pragas nas lavouras, como fungos, insetos, ácaros, larvas, bactérias, entre outros.

Manejo inadequado de agrotóxicos

Há diferentes aplicações, herbicidas, rodenticidas, entre outros. É a dosagem e manipulação incorreta que provoca intoxicação em seres vivos e a contaminação do meio ambiente.

  • O uso de agrotóxicos no Brasil

Leis frágeis e pouca fiscalização são apontadas como uma das causas para o uso excessivo. Além disso, o clima tipicamente tropical também oferece as condições propícias para a proliferação de pragas e parasitas.

  • Os alimentos com maior concentração de resíduos de pesticidas:

Os alimentos cultivados com agrotóxicos tem menos nutrientes e vitaminas. Isso porque as raízes crescem mais rápido e não se desenvolvem completamente, afinal, a produção de agronegócio exige que se produza cada vez mais em um curto espaço de tempo. Com isso as raízes absorvem menos nutrientes do solo.

homem-injeta-agrotoxico-em-tomate.jpeg

Em junho de 2010, a Anvisa divulgou os dados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), demonstrando dados alarmantes sobre a concentração de resíduos de agrotóxicos.

Porém, os dados são controversos entre as diferentes fontes. Há inúmeros estudos e poucas conclusões precisas acerca da porcentagem com os níveis de agrotóxicos acima do que é permitido.

Por exemplo, segundo o dossiê da (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) de 2015, os alimentos com maior concentração residual foram a soja, milho, cana-de-açúcar e algodão. Contrariando estudos que apontam que o pimentão, seguido do pepino são os mais intoxicados.

  • Principais sintomas do consumo de agrotóxicos na saúde

Ingestão Diária Aceitável

Há um parâmetro que visa calcular o consumo médio e a concentração na ingestão de defensivos agrícolas. Chamados respectivamente de cálculo de Ingestão Diária Máxima Teórica (IDMT) e parâmetro de Ingestão Diária Aceitável (IDA).

A estimativa da OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma cerca de 3 milhões de casos de envenenamento por ano, resultando em média de 220 mil mortes.

Ambos podem apontar para dois tipos de intoxicação, que variam de acordo com o grau de toxicidade, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer):

Intoxicação aguda:

Causada pela manipulação dos produtos ou inalação. É referente ao contato e reação imediata, a exemplo de herbicidas e inseticidas.

  • Na pele: ardência, desidratação, irritação, alergias e transpiração exagerada;
  • Sistema respiratório: Ardência do nariz e boca, tosse, coriza, dor no peito e dificuldade de respirar;
  • Na boca e sistema digestivo: Irritação da boca e garganta, dor de estômago, náuseas, vômito e diarreia;
  • No sistema neurológico: dor de cabeça, tontura, desmaios e até convulsões, câimbras, tremores e irritabilidade.

Intoxicação crônica:

Ocasionado pelo recorrente e cumulativo consumo de produtos contaminados. Podem reagir silenciosamente no organismo e só manifestar-se após anos.

  • Problemas respiratórios graves;
  • Sistema neurológico: Dificuldade para dormir, esquecimento, depressão, problemas no desenvolvimento intelectual, doença de Parkinson.
  • Sistema reprodutor: aborto, impotência, anormalidade da produção de hormônios da tireoide, dos ovários e da próstata, incapacidade de gerar filhos, malformação fetal, mutações genéticas.
  • Sistema digestivo e excretor: Mal funcionamento do fígado e dos rins..
  • Grau de toxicidade:

A ANVISA é responsável pelo registro do grau de toxicidade dos agrotóxicos:

Sabemos também que o uso massivo de agrotóxicos já comprometeu a qualidade da água potável.  A água que consumimos no Brasil já apresenta cerca de 5.000 vezes mais resíduos dessas substâncias do que o permitido na Europa.

Portanto, não basta apenas consumir orgânicos, mas preocupar-se com toda uma cadeia produtiva. Mas, então como descontaminar a água que consumimos dos agrotóxicos?

  • O ozônio na eliminação de agrotóxicos sem o uso de produtos químicos: uma nova realidade

Há inúmeras soluções milagrosas que prometem eliminar os resíduos de agrotóxicos dos alimentos, como o uso de vinagre. Porém, muitas dessas alternativas não têm eficiência comprovada cientificamente.

Estudos recentes na área de Plasma Frio e Ozônio já possuem laudo comprobatório de total degradação de resíduos antibióticos e agrotóxicos dos alimentos.

Os geradores de ozônio podem ser manipulados facilmente sem risco à saúde, utilizando apenas o oxigênio, ou seja, uma tecnologia verde, sem o uso de produtos químicos para eliminar os agrotóxicos dos alimentos.

Interessado em conhecer melhor essa tecnologia? Então acesse e confira:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *